Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pinturas que pintei há um ano:)

 
 
 
 
 
 
 
 
Posted by Picasa

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Agora percebo o quanto a nossa amiga Lídia a admira...

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Rogério:)
Pintei estas telas praticamente depois de ter tirado o gesso do meu braço direito...melhor terapia não há....pintei ...pintei... inspirada na minha filha mais nova com o tema Alícia no mundo dos livros e eis que surgiu uma tela, onde nasceu Alícia no Bosque:) beijinho
Rogério se explorar a fundo o meu blogue vai ter imensas surpresas....

Ángel-Isidro disse...

Preciosas tus pinturas querida silvia
con mucha imaginación y buen sentido
tienes virtudes que da el alma con
espírito de poeta, una mezcla de
gracia divinazada. Gracias por tu
comentario a mi poema, es un placer
saludarte.
Un beso
Ángel-Isidro.

http://elblogdeunpoeta.blogspot.com

Silvia Mota Lopes disse...

gracias Isidro
un abrazo

Silvia Mota Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mercedes Ridocci disse...

Me encantan tus dibujos ¡ Están llenos de vida!

Un abrazo grande.

Silvia Mota Lopes disse...

gracias Mercedes
un gran beso
es una persona llena de talento y sensibilidad