Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Princesa Mariposa

 
 

7 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Belíssima princesa, esta :-)

Rogério Pereira disse...

Aposto que a princesinha
Tem a alma como a carinha!

:))

Silvia Mota Lopes disse...

IUPI !!!FIQUEI COLOCADA EM PONTE DE LIMA . Eu vi logo que quando desenhei aesta princesa estava para chegar uma coisa boa!!! :)
beijinhos para os dois, Rogério e Carlos

Silvia Mota Lopes disse...

OBRIGADA AMIGOS ESTOU FELIZ...ainda não é este ano que vou parar a cascos de rolha!!!!!
A colocação é para todo o ano IUPI!!!!

Teresa disse...

E era uma vez uma Princesa Feliz!
Porque acreditou, sonhou e apesar da vida lhe ter feito uma careta continuou a pintá-la de cores fortes!
E agora vai puder espalhar o sonho e as cores da magia, num Jardim bem pertinho do seu palácio!

Beijinho.

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada amiga...só me faltavam mesmo as lágrimas...mas estas são de emoção e felicidade...e tu foste a culpada por elas se soltarem descaradamente sem pedirem licença...
Obrigada do fundo do coração pelas tuas palavras Teresa:)
Um beijinho grande

Silvia Mota Lopes disse...

Faltava:)