Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

terça-feira, 24 de abril de 2012

desenhado de fresco


Já tenho mais folhas de desenho para desenhar.
Acabei de fazer este desenho mas não sei porque o fiz... é muito IN

11 comentários:

FA disse...

Gosto, diz-me alguma coisa, mas também não sei expressar, faz-me mesmo sentido...
Bjs

Silvia Mota Lopes disse...

é um pouco complexo...:)
beijinhos

MA FERREIRA disse...

Silvia...o que mais me facina na arte é o olhar subjetivo.
Neste caso, o que me chamou atenção não foi a figura feminina, e sim
a figura da coruja, esta ave noturna que representa a sabedoria e o conhecimento.
Na Grecia Athena a deusa da Guerra e da Sabedoria a tinha como mascote.
Os gregos consideravam a noite um momento de revelação e busca do saber.

Em contrapartida tem também a figura do Sol, que é o simbolo da energia,
da claridade.

Vi muito mais elementos mas nem tenho capacidade para comenta-los.

Seu desenho é muito rico em significados.

Parabéns Moça Talentosa!
bjs

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Ma o que disse sobre o desenho é muito pertinente:)
Sim o sol, a coruja têm esse significado. Ajudou a descodificar alguns elementos da imagem...gosto da noite não como diversão, de saídas noturnas mas como exteriorização do eu mais emotivo, menos racional. À noite penso eu para além do sono e do cansaço que nos invade,naturalmente emergem sensações que o dia apesar da sua luz e claridade natural ofusca muitas vezes a emoção e o coração.
Este talento é natural Ma não tenho qualquer curso...workshop, mas gostava de ter, mesmo muito.Quem sabe um dia...
Beijinhos e muito obrigada pela ajuda:)

Silvia Mota Lopes disse...

A Árvore: o meu avô quando estava em fase terminal um dia olhou lá para fora através da janela e disse-me:- nós somos como aquela árvore! disse aquilo de uma forma tão intensa que fiquei muda.Nunca mais esqueci... A árvore da vida!

FA disse...

Amiga, em falar em árvore da vida, ontem assisti o filme com o mesmo tema (The Tree of Life)...é um filme que nos leva sobre uma profunda reflexão.
O filme é do cineasta Terence Malick, que nesse filme, conseguiu unir uma técnica de arte diferenciada em contar a "estória"...

A história passa-se numa família americana dos anos 50, com o pai opressor (vivido, por Brad Pitt mais que nunca seguro de si), que carrega o peso da responsabilidade e da educação dos três filhos, que vêem na mãe (Jéssica Chastain) o porto-seguro da afeição que necessitam.

Ao mesmo tempo, Malick dialoga com o futuro de um desses garotos (Sean Penn), perdido nesse emaranhado de edifícios, espremido ainda por essa criação e o trauma da morte do irmão.

Convida-nos a passear pelo significado de existir, e se não encontra a resposta é porque tem a clara certeza que é função de cada um chegar as suas próprias conclusões.Vai do Big Bang ao final de todas as coisas e cria essa experiência sensorial, profunda, tremendamente visual.

Recomendo!

The Tree of Life, escrito e dirigido por Terence Malick, com Brad Pitt, Sean Penn, Jessica Chastain, Hunter McCracken, Laramie Epples e Tye Sheridan

beijinhos e um bom feriado!

Silvia Mota Lopes disse...

Olá Fabiana eu fui ao cinema ver esse filme com o Lino:)
Obrigada amiga

MA FERREIRA disse...

Vim olhar de novo seu trabalho..

achei-o sensual também......

Silvia Mota Lopes disse...

Sim...tem sensualidade:)
cada vez estamos a descobrir mais coisas...a importância da mulher no seu todo...um corpo que vê que olha, que está atento mas acima de tudo sente:)
beijinhos

MA FERREIRA disse...

Eu aqui de novo...daqui a pouco vc coloca uma placa: fechado para os comentários da Má..rsrs

Seu talento é natural. é KArma. Ta na sua alma.
Voce não precisa de work shop. O que voce precisa ja foi te dado como DOM!!

Beijinhos..

Silvia Mota Lopes disse...

Nem pensar...se não fosse a Má e a Fa eu não tinha comentários quase nenhuns no blog...depois ia dar a sensação que estava a falar sozinha. Eu gosto deste feedback é muito saudável:)
Eu tenho o dom e criatividade mas gostava de aprender mais:)
beijinhos e muito obrigada