Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Sinto escrevo, escrevo sentindo e escrevo para sentir

 

Escorre uma ou outra gota de suor
Cerro a boca apenas escrevo
Os dedos dançam freneticamente
Nas teclas do computador
Sinto não penso
Porque se penso muito deixo de sentir
E os dedos param de dançar
E já não há música
Não há palavras
Nem letras a flutuar
Ficam mudas
 Invisíveis
Amarfanhadas
Ninguém as pode alcançar
E o vento não as leva para aquele lugar
Aquele …
Que cada um guarda em si
No seu peito
Do seu jeito
No seu abrigo
No seu sentir

Sílvia Mota Lopes

29 comentários:

Ángel-Isidro disse...

Hola, buenos días Silvia Mota Lopes
un placer tenerte y leer tus poemas
saber como sientes y expresas tus
nobles y bellos sentimientos... graciasa por conocerte y te doy la
!enhorabuena¡ ¡Felicidades!
Un besito
Ángel-Isidro.

http://elblogdeunpoeta.blogspot.com/

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Isidro:)
Quem sabe ainda vou escrever um livro de poesia....com as minhas telas...dois sonhos , duas realidades um só desejo:)
Um beijinhos grande

Mercedes Ridocci disse...

Cálidos, intimistas y profundos versos.

Un abrazo.

Mercedes.

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Mercedes:)
Um beijinho grande

MA FERREIRA disse...

:)
Lindo e forte!

bjinho...

que musica linda é essa q ouço?

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada MA:)

Al Reiffer disse...

Escreves muito bem, parabéns!

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada:)

Bicho do Mato disse...

Oi Sílvia, tudo bem? Vim conhecer seu blog e adorei as poesias, meus sinceros parabéns. Já estou te seguindo. Gostaria de convidá-la a visitar meu blog, onde publico minhas poesias, se você gostar, ficarei muito feliz em tê-la como seguidora. Abraços do amigo Bicho do Mato.

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada:)

Evanir disse...

QUERIDA CONHECENDO E SEGUINDO SEU BLOG QUE POR SEUS LINDOS POEMAS ME ENCANTOU.
FICAREI FELIZ EM RECEBER SUA VISITA BEIJOS NO CORAÇÃO,EVANIR.

MA FERREIRA disse...

Força!!! bjinho...

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada MA pelo teu carinho:)

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Evanir:)

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito Sílvia, gostei imenso!

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Rui:)
Um abraço enorme para si e para a sua família

MA FERREIRA disse...

Silvia...voce esta muito quietinha!
Fique bem....
Bjinho...

Afrodite Deusa do Amor. disse...

Olá lindo blog parabéns,já te sigo beijos.

Silvia Mota Lopes disse...

Estou num café onde tenho acesso à internet, praticamente é para ver o mail.Trabalho...não posso parar :)
Beijinho grande

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada por seguir o meu blogue:)
Um abraço

Evandro L. Mezadri disse...

Bela poesia, escrita com a alma! Sentimento puro!
Grande abraço e sucesso.

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Evandro
Um abraço

Gaspar de Jesus disse...

Belo Poema, para dar sentido à vida e ajudar o meu domingo.
Feliz domingo para si também minha amiga.
Bjs
G.J.

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Gaspar um bom Domingo para si também:)
vamos estando em contacto quando tiver novidades eu aviso:)
beijinhos

MA FERREIRA disse...

Oi Silvia... tudo bem?
Desejo a voce uma boa semana..com muita paz e inspiração...
Um bj q voce e a todos a quem voce ama!!

Silvia Mota Lopes disse...

Olá Ma
Está tudo bem obrigada
Uma boa semana para vocês:)

Silvia Mota Lopes disse...

Olá Ma
Está tudo bem obrigada
Uma boa semana para vocês:)

Milton disse...

Belo poema amiga!
Já tinha lido antes, mas estava sem tempo para comentar!
Essa parte é genial:

"Porque se penso muito deixo de sentir
E os dedos param de dançar
E já não há música
Não há palavras
Nem letras a flutuar
Ficam mudas
Invisíveis
Amarfanhadas
Ninguém as pode alcançar"

Show!

Beijos

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada :)
Um abraço