Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

domingo, 1 de julho de 2012

Atuação do nosso coro :)


Adivinhem onde estou....

4 comentários:

MA FERREIRA disse...

Oi Silvia!!
Bacana s sua participação no coro!
Acredito que voce seja a quinta..
acertei?
Seus desenhos estão lindos, parabéns!!

Semana de inspiração e paz a você..

bjos.....

Silvia Mota Lopes disse...

Olá MA Sim sou a 5ª e a minha mãe é essa loiraça à minha beira a 6ª:)
Obrigada e uma semana de luz:)
Beijinhos

Amigos Virtuais! disse...

Oi Silvia,
Interessantes seus dois blogs,
já seguindo os dois,
convido a seguir os meus dois neste perfil
Beijos
Eu! Leilinha

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada:) já estou a seguir:)