Da nebulosidade inicial, o Homem limpa os olhos, descobre o silêncio, caminha para o dia em direção à luz. O sagrado não se oculta, está em si, nele, no Homem, à procura da claridade que decorre por entre as mãos.
Do obscuro saber, o mito esmaga a exterioridade, leva o Homem à viagem interior, onde as cores revelam a presença do sagrado que se esmagam no encontro da sensibilidade, no ventre.
Da coisificação absurda, rodeante, o Homem projeta no universo, na tela, a desordem onírica, que espera, necessita, do olho, da água, da lágrima que dá ordem, sentido.
Na inquietude individual, o artista, o pintor, olha o mito, agarra a cabeça, mergulha nas cores, limpa os olhos, desvela a vida.
A Vida...

domingo, 24 de junho de 2012

 

4 comentários:

VINO MORAIS - ARTISTA PLASTICO disse...

GOSTEI MUITO..BELA ILUSTRAÇÃO...DESEJO-TE BOA SEMANA E SUCESSOS NO LANÇAMENTO DO LIVRO EM LISBOA.
....EU ESTOU NO SUL...BEIJOS SILVIA

Silvia Mota Lopes disse...

Obrigada Vino sim eu sei que estás no sul boas férias ou bom trabalho!!!
beijinhos e uma boa semana vou para a praia com a criançada
durante a semana e calha bem porque parece que vai estar muito calor!!!
beijinhos :)

FA disse...

Bonito amiga. Está tudo bem? Mande noticias, agora já tenho e-mail. Bjs

Silvia Mota Lopes disse...

olá FA está tudo bem
beijinhos